O transtorno bipolar é marcado pela alternância entre episódios de depressão e de euforia; as crises pode variar em intensidade, frequência e duração.

           Transtorno afetivo bipolar é um distúrbio psiquiátrico complexo. Sua característica mais marcante é a alternância, às vezes súbita, de episódios de depressão com os de euforia (mania e hipomania) e de períodos assintomáticos entre eles. As crises podem variar de intensidade (leve, moderada e grave), frequência e duração.

          As flutuações de humor têm reflexos negativos sobre o comportamento e atitudes dos pacientes, e a reação que provocam é sempre desproporcional aos fatos que serviram de gatilho ou, até mesmo, independem deles.

          Em geral, essa perturbação do humor se manifesta tanto nos homens quanto nas mulheres, entre os 15 e os 25 anos, mas pode afetar também as crianças e pessoas mais velhas.

TRANSTORNO BIPOLAR

TIPOS DE BIPOLARIDADE

  • Transtorno Bipolar I – definido por episódios maníacos que duram pelo menos 7 dias, ou por sintomas maníacos que são tão graves que a pessoa precisa de cuidados hospitalares imediatos. Geralmente, episódios depressivos ocorrem também, tipicamente durando pelo menos 2 semanas. Episódios de depressão com características mistas (com depressão e sintomas maníacos ao mesmo tempo) também são possíveis.

  • Transtorno Bipolar II – definido por um padrão
    de episódios depressivos e episódios hipomaníacos, mas não os episódios maníacos desenvolvidos acima.

  • Desordem ciclotímica (também chamada ciclotimia) – definida por numerosos períodos de sintomas hipomaníacos, bem como inúmeros períodos de sintomas depressivos de pelo menos 2 anos (1 ano em crianças e adolescentes).
    No entanto, os sintomas não atendem aos requisitos diagnósticos para um episódio hipomaníaco e um episódio depressivo.

  • Outros Transtornos Bipolares e Relacionados Especificados e Não Especificados – definidos
    por sintomas de transtorno bipolar que não correspondem às três categorias listadas acima.

SINTOMAS

Sintomas característicos da fase de euforia:

- sensação de extremo bem-estar;
- aceleração do pensamento e da fala;
- agitação e hiperatividade;
- diminuição da necessidade de sono;
- aumento da energia;
- diminuição da concentração;
- euforia ou irritabilidade;
- desinibição;
- impulsividade;
- ideias de grandiosidade e sensação de “poder”.

 

Sintomas característicos da fase de depressão:

- alterações de apetite com perda ou ganho de peso;
- humor deprimido na maior parte dos dias;
- fadiga ou perda de energia;
- apatia, perda de interesse ou prazer;
- pensamentos recorrentes de morte ou suicídio;
- agitação ou retardo psicomotor;
- sentimentos de culpa ou inutilidade;
- desânimo e cansaço mental;
- tendência ao isolamento tanto social como familiar;
- ansiedade e irritabilidade.

DIAGNÓSTICO

​          Um bom diagnóstico e tratamento ajudam as pessoas com transtorno bipolar a levar vidas saudáveis ​​e produtivas. Falar com um psiquiatra ou um psicólogo é o primeiro passo para qualquer pessoa que desconfie de um quadro de transtorno bipolar.
 

          Um psiquiatra pode completar um exame físico para descartar outras condições. Se os problemas
não são causados ​​por outras doenças, o médico pode realizar uma avaliação de saúde mental ou fornecer uma referência a um psiquiatra ou psicólogo, que tenham experiência em diagnosticar
e tratar o transtorno bipolar.

TRATAMENTO

          O tratamento adequado pode ajudar muitas pessoas, mesmo aquelas com as formas mais graves de bipolaridade a obter um melhor controle de suas mudanças de humor e outros sintomas bipolares. Um plano de tratamento eficaz geralmente inclui uma combinação de medicação e psicoterapia.


          O transtorno é uma doença vitalícia, episódios de mania e depressão costumam voltar ao longo do tempo. Entre os episódios, muitas pessoas com transtorno bipolar podem se ver livres de mudanças de humor, mas algumas pessoas podem ter sintomas persistentes. A longo prazo, o tratamento contínuo ajuda a controlar estes sintomas.

IMPORTÂNCIA DO TRATAMENTO

- redução das chances de recorrência de crises;
- controle da evolução do transtorno;
- redução das chances de suicídio;
- redução da intensidade de eventuais episódios;
- promoção de uma vida mais saudável.

          O transtorno bipolar têm alto impacto na vida da pessoa e de seus familiares, trazendo significativo comprometimento dos aspectos sociais, ocupacionais e em outras áreas. O avanço dos medicamentos que tratam a doença diminuiu bastante o tempo que era dispendido em hospitalizações fazendo com que o tratamento domiciliar, centrado no cuidado da família e dos amigos seja de suma importância no suporte ao paciente.

          A psicoterapia familiar é indicada para que pacientes e familiares consigam identificar, em suas relações cotidianas, atitudes e comportamentos que possam predispor ao desencadeamento dos sintomas. As atividades de orientação psicoeducacional, por sua vez, concorrem de forma significativa para difundir e compartilhar informações sobre a doença e seu tratamento entre todos os envolvidos.

RECOMENDAÇÕES

          Portadores de transtorno bipolar e seus familiares precisam estar cientes de que:

          Seguir o tratamento à risca é a melhor forma de prevenir a instabilidade emocional e a recorrência das crises, o que assegura a possibilidade de levar vida praticamente normal;

  • Os remédios podem não fazer o efeito desejado logo nas primeiras doses que, muitas vezes, precisam ser ajustadas ao longo do tratamento;

  • Crises depressivas prolongadas sem tratamento adequado podem aumentar em 15% o risco de suicídio nos pacientes bipolares;

  • O paciente pode procurar alívio para os sintomas no álcool e em outras drogas, solução que só ajuda a agravar o quadro;

  • Alternar a fase de depressão com a de mania pode dar a falsa sensação de que a pessoa está curada e não precisa mais de tratamento;

  • A família pode precisar também de acompanhamento psicoterápico, por duas diferentes razões: primeira, porque o distúrbio pode afetar todos que convivem diretamente com o paciente; segunda, porque precisa ser orientada sobre como lidar no dia a dia com os portadores do transtorno.

POSSÍVEIS CAUSAS

          O transtorno bipolar não parece ter uma causa única, mas é mais provável que resulte de uma série de fatores que interagem.

Fatores genéticos


Alguns estudos sugeriram que pode haver um componente genético no transtorno bipolar. É mais provável que surja em uma pessoa que tenha um membro da família com a doença.

Traços biológicos


Pacientes com transtorno bipolar muitas vezes mostram mudanças físicas em seus cérebros, mas a ligação permanece incerta. 

Desequilíbrios cérebro-químicos


Os desequilíbrios dos neurotransmissores parecem desempenhar um papel fundamental em muitos transtornos do humor, incluindo o transtorno bipolar.

Problemas hormonais


Desequilíbrios hormonais podem desencadear ou causar transtorno bipolar.

Fatores ambientais
Abuso, estresse mental, uma “perda significativa” ou algum outro evento traumático pode contribuir para ou desencadear o transtorno bipolar.

          Uma possibilidade é que algumas pessoas com uma predisposição genética para o transtorno bipolar podem não apresentar sintomas perceptíveis até que um fator ambiental desencadeie um grave balanço do humor.

REFERÊNCIAS

PIMENTA, TATIANA. Transtorno Bipolar – Tipos, sintomas, diagnóstico e tratamentos. VITTUDE, 27 DE SETEMBRO DE 2018.
Disponível em: < https://www.vittude.com/blog/transtorno-obsessivo-compulsivo-toc-sinais-sintomas-e-tratamentos/#:~:text=O%20Transtorno%20Obsessivo%2DCompulsivo%20(TOC,a%20Organiza%C3%A7%C3%A3o%20Mundial%20de%20Sa%C3%BAde.l> Acesso em: 10/08/2020

 

Varella Bruna, Maria Helena. Transtorno bipolar. Drauzio Varella.
Disponível em: < https://drauziovarella.uol.com.br/doencas-e-sintomas/transtorno-bipolar-2/>

Acesso em: 10/08/2020

 

BVSMS. 30/3– Dia Mundial do Transtorno Bipolar. Ministério da Saúde, 29 DE MARÇO DE 2019.  Disponível em: < https://bvsms.saude.gov.br/ultimas-noticias/2919-30-3-dia-mundial-do-transtorno-bipolar> Acesso em: 10/08/2020

 

Canal do YouTube: MINHA VIDA. O que é transtorno bipolar?, 27 DE JUNHO DE 2011. Disponível em: < https://www.youtube.com/watch?v=1ei-I5JMT5c&feature=emb_logo> Acesso em: 10/08/2020