A Síndrome de Borderline, também chamada de transtorno de personalidade limítrofe,
é caracterizada pelas mudanças súbitas de humor, medo de ser abandonado pelos amigos e comportamentos impulsivos, como gastar dinheiro descontroladamente ou comer compulsivamente, por exemplo.

          Geralmente, as pessoas com Síndrome de Borderline têm momentos em que estão estáveis, que alternam com surtos psicóticos, manifestando comportamentos descontrolados. Esses sintomas começam a se manifestar na adolescência e se tornam mais frequentes no início da vida adulta. Por vezes, esta síndrome é confundida com doenças como esquizofrenia ou doença bipolar, mas a duração e intensidade das emoções é diferente, sendo fundamental ser avaliado por um psiquiatra para saber o diagnóstico correto e iniciar o tratamento adequado.

SÍNDROME DE BORDERLINE

CARACTERÍSTICAS DA SÍNDROME

          As características mais comuns das pessoas que têm a Síndrome de Borderline são:

  • Alterações do humor ao longo do dia, variando entre momentos de euforia e de profunda tristeza;

  • Sentimentos de raiva, desespero e pânico;

  • Irritabilidade e ansiedade que pode provocar agressividade;

  • Dificuldade em controlar as emoções, podendo variar de tristeza extrema a episódios de euforia;

  • Medo de ser abandonado por amigos e familiares;

  • Instabilidade nas relações, podendo causar distanciamento;

  • Impulsividade e dependência por jogos, gasto de dinheiro descontrolado, consumo exagerado de comida, uso de substâncias e, em alguns casos, não cumprindo regras ou leis;

  • Baixa autoestima;

  • Insegurança em si próprio e nos outros;

  • Dificuldade em aceitar críticas;

  • Sensação de solidão e de vazio interior.

          Os portadores deste transtorno têm medo que as as emoções fujam do seu controle, demonstrando tendência para se tornarem irracionais em situações de maior estresse e criando uma grande dependência dos outros para conseguirem estar estáveis.

DIAGNÓSTICO

          Para o diagnóstico do transtorno de personalidade limítrofe, os pacientes devem ter

  • Instabilidade persistente nos relacionamentos, na autoimagem e nas emoções (desequilíbrio emocional), bem como acentuada impulsividade.

          Esse padrão é caracterizado por ≥ 5 dos seguintes:

  • Esforços desesperados para evitar o abandono (real ou imaginado)

  • Relacionamentos intensos e instáveis que se alternam entre idealização e desvalorização da outra pessoa

  • Autoimagem ou senso do eu instável

  • Impulsividade em ≥ 2 áreas que pode prejudicá-los (p. ex., sexo inseguro, compulsão alimentar, dirigir de forma imprudente)

  • Comportamentos, gestos ou ameaças repetidos de suicídio ou automutilação

  • Mudanças rápidas no humor, normalmente durando apenas algumas horas e raramente mais do que alguns dias

  • Sentimentos persistentes de vazio

  • Raiva inadequadamente intensa ou problemas para controlar a raiva

  • Pensamentos paranoicos temporários ou sintomas dissociativos graves desencadeados por estresse

 

DIAGNÓSTICO DIFERENCIAL

          Na maioria das vezes, o transtorno de personalidade limítrofe é diagnosticado equivocadamente como:

  • Transtorno bipolar:esse transtorno também é caracterizado por grandes variações no humor, comportamento e sono. Mas, no transtorno de personalidade borderline, o humor e o comportamento mudam rapidamente em resposta a estressores, especialmente os interpessoais, enquanto no transtorno bipolar o humor é mais sustentado e menos reativo.

          Outros transtornos de personalidade compartilham manifestações semelhantes.

          O diagnóstico diferencial do transtorno de personalidade limítrofe também abrange:

          Muitos transtornos que fazem parte do diagnóstico diferencial do transtorno de personalidade limítrofe coexistem.

TRATAMENTOS E TERAPIAS

          O tratamento do Síndrome de Borderline é realizado com o uso de medicamentos antidepressivos, estabilizadores de humor e calmantes indicados pelo médico psiquiatra.

          Além do tratamento com remédios, é necessário manter acompanhamento psicológico para realizar psicoterapia e ajudar o indivíduo a controlar suas emoções negativas, como saber enfrentar momentos de maior estresse.

Psicoterapia

          A psicoterapia é um dos principais tratamentos para pessoas com Síndrome de Borderline.
O acompanhamento psicoterapêutico pode ser fundamental para aliviar alguns sintomas.

          A psicoterapia pode ser realizada individualmente entre um psicólogo e o paciente ou em uma configuração de grupo. 

Terapia Cognitiva Comportamental

          A Terapia Cognitiva Comportamental pode ajudar as pessoas com o transtorno a identificar e mudar as crenças ou comportamentos fundamentais subjacentes a percepções imprecisas de si mesmos e de outros e problemas que interagem com os outros.            A TCC pode ajudar a reduzir uma variedade de sintomas de humor e ansiedade e reduzir o número de comportamentos suicidas ou autodestrutivos.

Terapia Dialética Comportamental

 

          Inicialmente o psicólogo irá trabalhar as questões mais urgentes como o risco de suicídio, comportamentos de automutilação, agressividade, impulsividade, comportamentos abusivos e de risco. 
          Este tipo de terapia utiliza o conceito de atenção plena. Ensina habilidades para controlar emoções intensas, reduzir comportamentos autodestrutivos e melhorar relacionamentos.

Terapia do esquema

 

          Este tipo de terapia combina elementos da TCC com outras formas de psicoterapia que se concentram nos esquemas de reestruturação ou nas formas como as pessoas se vêem. Essa abordagem baseia-se na idéia de que a Síndrome de Borderline decorre de uma auto-imagem disfuncional – possivelmente provocada por experiências de infância negativas – que afeta a forma como as pessoas reagem ao seu ambiente, interagem com os outros e lida com problemas ou estresse

Terapias para a Família

 

          Familiares de pessoas com Síndrome de Borderline também podem se beneficiar da psicoterapia. Os desafios para lidar com um ente querido com o transtorno podem ser muito estressantes.Os membros da família podem agir inconscientemente agravando os sintomas de seus parentes.
          Algumas abordagens terapêuticas incluem membros da família nas sessões de tratamento. Estes tipos de programas ajudam as famílias a desenvolver habilidades para entender melhor e apoiar um parente com Síndrome de Borderline.

EMERGÊNCIAS

          Estudos indicam que pacientes Borderline que nunca se recuperaram podem ser mais propensos a desenvolver outras condições médicas crônicas e são menos propensos a fazer escolhas saudáveis ​​de estilo de vida. A Síndrome de Borderline também está associada a uma alta taxa de automutilação e comportamento suicida.

          Se você está pensando em se machucar ou tentar suicídio, conte a alguém que pode ajudá-lo imediatamente. Ligue para um médico de confiança, para seu psiquiatra ou psicólogo se já estiver trabalhando em conjunto com um. Se você ainda não tratamento com um profissional de saúde mental habilitado, dirija-se para a sala de emergência do hospital mais próximo.

          Se uma pessoa querida está considerando suicídio, não a deixe sozinha. Ajude a pessoa a procurar ajuda imediata com seu médico, indo até a emergência do hospital mais próximo, ou ligue para o Centro de Valorização da Vida (CVV) através do número 141. Remova todo o acesso que ele ou ela possa ter a armas de fogo ou outras ferramentas potenciais para o suicídio, incluindo medicamentos, instrumentos afiados, como facas, estiletes, giletes cordas ou cintos.

         

Se você ou um ente querido estiverem em crise: ligue para 141 e fale com o CVV. O serviço está disponível para qualquer um. Todas as chamadas são confidenciais.

REFERÊNCIAS

FARIA, CLAUDIA. Síndrome de Borderline: o que é e como identificar (com teste). Tua Saúde. Disponível em: < https://www.tuasaude.com/sindrome-de-borderline/#:~:text=A%20S%C3%ADndrome%20de%20Borderline%2C%20tamb%C3%A9m,ou%20comer%20compulsivamente%2C%20por%20exemplo.> Acesso em: 10/08/2020

 

ANDREW SKODOL. Transtorno de personalidade borderline (TPB). MANUAL MSD, MAIO DE 2018. Disponível em: <https://www.vittude.com/blog/sindrome-de-borderline/> Acesso em: 10/08/2020

 

PIMENTA, TATIANA. Síndrome de Borderline: conheça os sintomas e tratamentos deste transtorno. VITTUDE, 22 DE AGOSTO DE 2017.
Disponível em: <https://www.vittude.com/blog/sindrome-de-borderline/> Acesso em: 10/08/2020

 

Canal do YouTube: BORDERLINE: EM UMA TEMPESTADE DE EMOÇÕES INTENSAS, 10 DE MAIO DE 2016. Disponível em: < https://www.youtube.com/watch?time_continue=1&v=GswP0EFF-0w&feature=emb_logo> Acesso em: 10/08/2020